Close

13/12/2015

Você vai fracassar… e agradeça por isso.

O orgulho… Que sentimento nojento, não é? Sou uma pessoa muito orgulhosa, tudo tem quem estar perfeito, na primeira tentativa e atingir o máximo de pessoas. Isso com qual objetivo? Apenas de me sentir o melhor! Há algum tempo tenho me questionado, por que fazer isso? Realmente não faz muito sentido… Me sentir superior? Bom, esse conceito não existe. Todos somos superiores e inferiores, comparando com qualquer outra pessoa, em vários aspectos. Sendo assim, nunca estarei satisfeito, sempre haverá aquela… pontada de inveja de uma pessoa que seja superior em outro aspecto.

Decidi que esse orgulho e essa inveja precisavam ficar pra traz. Era uma questão de sobrevivência, uma questão de evolução. Coloquei em mente que deveria buscar um objetivo que me satisfizesse. Estabeleci meu objetivo final, abrir uma escola com uma metodologia do século vinte e um… e meio. Afinal, se vou usar meu tempo para planejar alguma coisa, que seja grandiosa, que seja um real desafio, que ocupe a minha mente procurando soluções para esse meu problema: atingir meu objetivo.

Eu me perguntava, como eu, somente com meus vinte e poucos anos, poderia fazer uma revolução dessas, principalmente na área educacional? Essa é uma preocupação que desencoraja muitas pessoas e me desencorajou. Mas dois mestres me ensinaram dois conceitos simples. Murilo Gun ensinou-me: o sucesso é o resultado de fracassos. E Tiago Mattos: Vai lá e faz.

Mas, Filipe, que história é essa? O sucesso é o resultado de fracassos? Como assim? Yep, that’s it my friend… Se hoje, Você não tem sucesso no que deseja, das duas uma, ou você não colocou o plano em prática, ou você não sabe fracassar. O primeiro caso, não vou nem comentar… Se o plano não virar prática o plano é inútil. Já para aqueles que deram o primeiro passo e fracassaram, deve-se ter em mente que o fracasso deve estar previsto e planejado. Os passos devem ser pisados sempre maiores que as pernas, mas não podem ser maiores que a beira do penhasco. Ou seja, assuma riscos de fracassar, mas fracassos pequenos e controláveis. Comecei a escrever este blog e comecei fracassando. Um fracasso controlável, mas… um fracasso. O primeiro post não teve divulgação nas redes sociais, tive que fazer a divulgação manualmente. Mas já resolvi, agora a integração está funcionando.

Ah! Mas você está escrevendo um blog, Filipe, que riscos você corre? Bom no meu caso o risco de fracasso é realmente baixo, mas este blog é um passo para o meu objetivo final. O blog é um teste para que eu saiba como posso passar conhecimentos de forma efetiva, por meio escrito. Por isso analiso os resultados, aponto se o resultado foi o esperado ou não e aprendo com os erros que encontrei. Na próxima oportunidade não cometerei aquele erro, por que já sei onde errei.

Dê o primeiro passo, esteja pronto para os fracassos, procure ajuda e feedback e seu tão sonhado objetivo irá evoluir com certeza.

Filipe Costa
-um amigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *